A instalação do Plantetor, incluindo a montagem do antipredador, sua fixação ao solo e aplicação da graxa bloqueadora, é bastante simplificada e rápida dispensando treinamentos mais especializados. Um funcionário, depois de repetir a colocação em poucas plantas, ganha prática e passa a montar e instalar cada dispositivo em apenas cinco minutos.

         Os grampos plásticos que cravam o Plantetor no solo e a camada de terra que cobre as três bases do protetor fixam-no com aderência ao solo deixando-o resistente ao desprendimento pela força do vento e das enxurradas. E por serem anticorrosíveis, os grampos garantem a fixação do Plantetor por muito tempo resistindo à ação das intempéries.

         O próprio protetor se torna um reservatório em que se pode preencher com adubo orgânico, especialmente o húmus de minhocas. A água de regas e da chuva provoca a lixiviação do fertilizante que se incorpora à terra, tornando-o disponível à absorção pelo sistema radicular da muda.

         Especialmente quando o Plantetor for instalado em plantas ornamentais de jardins de residências, avenidas e clubes, seu desenho harmoniza-se com discrição à beleza dos arranjos paisagísticos. Com a possibilidade de fabricação em cores diversas, o Plantetor também pode combinar com as plantas protegidas e com os vegetais das imediações.

         Tratado com aditivo anti-raio ultravioleta, o Plantetor ganha tolerância à insolação diária tornando-se durável por mais de cinco anos. Além disto, o antipredador tem resistência expressiva à compressão e perfuração eventualmente provocadas e à corrosão pela própria graxa bloqueadora que nele se adere.

         O artifício de isolamento utilizado pelo Plantetor bloqueia definitivamente o acesso dos insetos-praga ao vegetal por circundar, sem frestas, a base da planta e por ter, em sua extremidade superior, uma aba munida internamente de uma camada de graxa. Ainda que as formigas conseguissem subir pelas laterais lisas e escorregadias do protetor, jamais transporiam a porção da emulsão bloqueadora.

         Por não usufruir dos meios químicos de combate às formigas-cortadeiras, o Plantetor não promove malefícios ao meio-ambiente e à saúde humana causados pelos inseticidas usados na termonebulização e na dispersão de iscas formicidas. Abrigada completamente pela aba inclinada do Plantetor, a camada de emulsão bloqueadora não é removida nem por chuvas torrenciais que a arrastariam para o solo. O protetor ainda acrescenta as suas características de produto ecológico a fabricação em plástico totalmente reciclável.

         O Plantetor, fabricável em diversas cores, dispõe de espaço em suas laterais para inserir etiquetas que identificam e anunciam a empresa que executa o plantio e a propriedade ou instituição em que são plantadas as mudas. Com definição de fotografia, as etiquetas impressas em vinil podem aludir a firmas de paisagismo, ONG's, fazendas, sítios, clubes, prefeituras, empresas privadas etc.

         As técnicas mais comuns de combate químico às formigas-cortadeiras são mais onerosas que a instalação do Plantetor. Por exemplo, numa área de 1,2 hectares de reflorestamento, onde se plantam 1000 mudas de plantas arbóreas, o uso do Plantetor fica mais barato 18% do que a aspersão direta de formicida (termonebulização) nos formigueiros da circunvizinhança.

         Por ser dobrável e de encaixe, o Plantetor pode ser empilhado e embalado num volume muito reduzido, proporcionando a diminuição nas despesas de transporte. Ainda desmontado, o produto antipredador de plantas ocupa 25 vezes menos espaço do que o Plantetor montado.

         Protegida pela aba inclinada do Plantetor e permanentemente dotada de propriedades emolientes, a graxa bloqueadora se mantém ativa contra o acesso de insetos-praga andantes. A manutenção do Plantetor se restringe à reaplicação periódica da graxa e à eliminação de "pontes" que ligariam o predador à planta, durante a prática rotineira de capina do entorno da muda.

         Numa etiqueta plástica fixada na aba do Plantetor se permite registrar o nome da planta e a data de seu plantio. Estas informações são escritas com uma caneta despachada com o produto que possui tinta que se mantém inalterável, mesmo estando ao tempo.

         Por ser montado "abraçando-o" à base do caule e não ser introduzido pela parte superior da planta, o Plantetor pode dar proteção também a arvoredos de copas mais largas que as de mudas. A abrangência de uso do Plantetor estende-se a plantios mais velhos como, por exemplo, a pomares já formados e infestados por formigas-cortadeiras.

         Os protetores de plantas que porventura tenham morrido ou que não se encontrem mais vulneráveis ao ataque das formigas podem ser perfeitamente removidos e reutilizados: o desmonte é tão simples quanto a montagem e o desencaixe não danifica qualquer componente do Plantetor.