Inscreva-se para receber, toda semana, o Boletim da Minhoca com informações importantes sobre minhocas e minhocultura.

Minhobox | Boletim da Minhoca
PORTAL DA MINHOCA
  • Idioma Português
  • Idioma Espanhol
  • Idioma Inglês
Boletim da Minhoca
O Minhodic é uma seção do Portal da Minhoca que reúne os significados dos verbetes mais comuns ligados às minhocas e à minhocultura, publicados bimestralmente na seção "Dicionário" do Jornal da Minhoca.

Letra T

  • Letra T
  • Verbetes iniciados em "T" relacionados com a terminologia particular da minhoca e da minhocultura.

TANGORRECEPTORAS - são numerosos receptores epiteliais localizados ao longo de todo o corpo da minhoca, especialmente nas regiões lateral e ventral, que presumidamente detectam o tato e percebem alterações químicas e térmicas. Os tangorreceptores, ao lado dos fotorreceptores e quimiorreceptores, constituem pequenos grupos celulares pouco desenvolvidos do corpo da minhoca que têm a função de receber estímulos.

TATU-BOLA – é o nome que vulgarmente se dá ao artrópode terrestre de corpo achatado dorso-ventralmente pigmentado em cinza ou marrom escuro, que vive em ambientes sombrios e úmidos e se enrola sempre que molestado. Conhecido cientificamente como Armadilidium vulgare, o tatuzinho-de-quintal, como também é chamado, está sempre em grande número habitando o substrato de minhoculturas, e por isto, apesar de se contestar, é, às vezes, considerado predador de minhocas.

TAXIA - é o tipo invariável de resposta pelo qual a minhoca se orienta na direção favorável ou contrária de um determinado estímulo. Com relação à luz, por exemplo, as minhocas apresentam fototaxia negativa, ou seja, sempre se afastam da luminosidade se escondendo embaixo de algo ou penetrando em algum substrato para evitarem o ressecamento e a exposição a seus inimigos naturais.

TAXONOMIA - é a ciência da classificação de minhocas que se divide em duas sistemáticas: a clássica, baseada em seus caracteres externos e internos, e a filogenética, respaldada na informação genética e na seqüência de genes dos oligoquetas. Atualmente, cerca de 3500 minhocas de 27 famílias já foram classificadas de um total estimado de o dobro de espécies distintas habitando ambientes aquáticos e terrestres de quase todo o mundo.

TAXONOMISTA – é o cientista que se dedica à ciência da classificação de minhocas, dividida em duas sistemáticas: a clássica, baseada em seus caracteres externos e internos, e a filogenética, respaldada na informação genética e na seqüência de genes dos oligoquetas. O trabalho do taxonomista é importante para se conhecer a biodiversidade de minhocas, a abundância e sua distribuição geográfica.

TEIA - é o nome dado por catadores de minhocas do Vale do Paraopeba, em Minas Gerais, ao material produzido pelo minhocuçu-mineiro (Rhinodrilus alatus) depositado na base da câmara de quiescência. Com aspecto de fio de seda enrolado, a teia tem o papel de manter a umidade no interior do buraco durante os meses secos em que o minhocuçu permanece inativo e enovelado à espera das chuvas seguintes.

TENTACULIFORME - é um tipo de prostômio – a projeção que antepõe ao primeiro anel do corpo da minhoca, a boca, rica em terminações nervosas, utilizada na locomoção para perfurar e desimpedir seus caminhos – cilíndrico e longo, preso ao teto da cavidade oral, que se assemelha a um tentáculo.

TERMOFÍLICO - é o tipo de microrganismo classificado por ter atividade favorecida em ambientes quentes, com temperatura entre 45 a 65 graus Celsius. Existem importantes espécies de bactérias, fungos e actinomicetos termófilos, como também são designados, que atuam em prol da transformação dos resíduos orgânicos em substrato para as minhocas.

TERMÓFILO - é o tipo de microrganismo classificado por ter atividade favorecida em ambientes com temperatura entre 45 a 65 graus Celsius. Existem importantes espécies de bactérias, fungos e actinomicetos termófilos que desempenham importante papel na decomposição e transformação dos resíduos orgânicos em substrato para as minhocas.

TERRA VEGETAL - é o substrato geralmente composto por terra humificada, matéria vegetal decomposta, enriquecido com húmus de minhocas e comercializado em floriculturas e seções de jardinagem de supermercados apropriado às principais plantas cultivadas em domicílio. A terra vegetal é indicada para formar novos vasos e, por conter húmus em sua formulação, passou a fazer parte da linha de produtos do minhocultor.

TERRÍCOLAE - é uma das divisões da classe das minhocas, proposta pelo estudioso E. Clapàrede em 1862 que agrupa as espécies de acordo com o ambiente em que vivem: na água doce, na terra ou no mar. As minhocas enquadradas na categoria Terricolae, chamadas espécies terrícolas, vivem na terra e constituem na grande maioria das milhares de espécies de oligoquetas.

TESTÍCULOS - são quatro pares de pequenas glândulas germinativas, contidas em dois pares de vesículas seminais grandes, localizadas ao redor do esôfago, onde se inicia a produção dos espermatozóides. Depois de produzidas, as células espermáticas, ainda imaturas, abandonam os testículos para completarem a diferenciação nas vesículas seminais.

TIFLOSSOLE - é uma dobra única e longitudinal que invade a linha média dorsal do intestino da minhoca e que, por aumentar a superfície de contato da parede intestinal, aumenta também a absorção dos nutrientes do alimento ingerido.

TIGMOTAXIA - tipo de reação em minhoca que a estimula a encontrar algum ambiente que envolva a maior parte da superfície de seu corpo. Esta resposta é muita aguçada por exemplo, nas espécies do gênero Pheretima, as puladeiras, que justificam a designação por procurarem inquietamente com saltos, algum abrigo sempre depois de serem expostas desenvoltas à luz.

TOUPEIRA - é o nome vulgar dado ao pequeno mamífero de dentes finos e pontiagudos, focinho afilado e longo, com patas especializadas em escavar o solo para perfurar seu caminho onde se alimenta de vermes e insetos. Tanto é ávida por minhocas que muitos dos minhocários em canteiros montados onde ocorre a toupeira (Talpa europaea) são forrados por uma tela metálica para impedir a invasão desse predador.

TRAVE PUBERTAL - é o nome que se dá à dilatação glandular situada quase sempre na face ventral do clitelo, mais longas que largas, sempre em números de dois, continuas e de margens retas ou não. As traves pubertais, por exemplo, são as primeiras marcas de maturidade sexual que aparecem nas minhocas rosa-mansa (Pontoscolex corethrurus) em seus segmentos de número dezenove e vinte e um.

TRINCA – é o nome que comumente se dá ao aspecto de rachadura produzida pelo minhocuçu-mineiro (Rhinodrilus alatus) ao se deslocar para a superfície do solo na região do Vale do Paraopeba, em Minas Gerais, onde somente lá é endêmico. No início da estação chuvosa, os movimentos de alinhamento dos corpos que antecedem a cópula dos minhocuçus no extrato superficial da terra geram a trinca.

TSBF – é o método de amostragem qualitativa e quantitativa de criaturas do solo desenvolvido por Anderson e Ingram em 1993 por um programa da UNESCO que consiste na coleta de monólitos com 25cm por 25cm por 30cm de altura num transepto do solo de 50 a 100 m de comprimento. Depois de reduzidos a extratos menores, os monólitos são levados ao laboratório para recolher, fixar e identificar a macrofauna, em que se incluem as minhocas, por exemplo.

TUBIFEX - é o nome dado às minhocas detritívoras avermelhadas da família Tubificidae e gênero Tubifex que habitam o fundo de águas poluídas e onde se reproduzem assexuadamente por fragmentação. Apesar de o considerarem um organismo patógeno, o tubifex é comumente capturado e já criado racionalmente para ser comercializado como dieta viva de alto poder nutritivo para peixes ornamentais.

TUBIFICIDAE – é a família em que se agrupam pequenas espécies de minhocas sem olhos que possuem clitelo em poucos segmentos e se reproduzem assexuadamente por fragmentação. Representantes desta família são as minhocas conhecidas como Tubifex, que são espécies do gênero de mesmo nome, habitam o fundo de águas poluídas e comumente são capturadas para alimentar peixes ornamentais.

TUBO DIGESTIVO - é o conjunto de órgãos ocos, dispostos em seqüência, que se estendem longitudinalmente da boca ao ânus da minhoca e por onde transitam o substrato ingerido. Através dos componentes do tubo digestivo (boca, faringe, esôfago, papo, moela, intestino e ânus) o alimento é apreendido, ingerido, triturado, digerido, absorvido e excretado.

TUBO MÚSCULO-DERMÁTICO - é o tubo segmentado de formato cilíndrico e extremidades geralmente afinadas que reveste todo o corpo da minhoca. Tenro e continuamente úmido, o tubo músculo-dermático de certas espécies de minhoca pode ter seções quadrangulares, extremidade posterior alargada e/ou achatada dorso-ventralmente e superfície dorsal sulcada longitudinalmente.

TUMESCÊNCIA GENITAL – é um tipo de marca pubertal — sinais de maturidade sexual caracterizados por modificações glandulares do epitélio, como espessamento, saliências, sulcos, faixas, colorações etc — que se caracterizam pelo alargamento de áreas glandulares de limites indistintos e, eventualmente, pela diferenciação na coloração.

TURNOVER – é o processo lento e contínuo de homogeneização das camadas do solo provocado pelas minhocas que trazem partículas de terra ingerida de horizontes mais profundos e as depositam nas partes superficiais como fezes. Esta reviravolta, que mantém a estrutura do solo seguidamente regenerada, conferiu às minhocas o título popular de "arado da natureza".

 

Afrânio Augusto Guimarães - zootecnista / MINHOBOX

  • Imprima esta página.
    Imprima esta página.
  • Envie esta página para alguém.
    Envie esta página para alguém.
  • Envie uma mensagem para a Minhobox.
    Envie uma mensagem para a Minhobox.
  • Deixe seu comentário sobre esta página.
    Deixe seu comentário sobre esta página.
  • Compartilhe esta página no Facebook.
  • Recomende esta página pelo Twitter.
  • Recomende esta página pelo Google+.
Deixe seu comentário sobre esta página.
Enviar
Envie esta página para alguém.
Envie uma mensagem para a Minhobox.