Portal da Minhoca

Letra F

FAIXAS MUSCULARES – são numerosos músculos afinados que ligam a região da faringe e cavidade bucal à parede do corpo da minhoca, responsáveis pelos constantes movimentos de protração e retração da cavidade bucal e dilatação e contração da faringe. São as faixas musculares, por exemplo, que succionam o alimento para dentro do esôfago e ejetam a boca do anelídeo para atividade exploratória.

FARINGE – é a seção do início do tubo digestivo da minhoca que precede à cavidade bucal ligada à parede do corpo por faixas musculares responsável pela sucção do alimento ingerido. Na faringe, o alimento ingerido passa por umedecimento de um muco – a “saliva” – de ação proteolítica e que facilita seu deslocamento, secretado por uma massa de células glandulares localizadas entre as faixas musculares.

FARINHA DE MINHOCA – é o produto da minhocultura resultado da seleção, expurgo e desidratação de minhocas, com potencial de uso na alimentação de animais monogástricos. A farinha de minhocas constitui-se num alimento nutricionalmente rico por suprir a exigência por proteína — fornece aminoácidos de excelente qualidade —, agir como potente suplemento mineral e vitamínico, disponibilizando, principalmente, o ferro e a vitamina B.

FECUNDAÇÃO – é a união de dois gametas (espermatozóide e óvulo) para formar um zigoto e iniciar o desenvolvimento de um embrião, ocorrida logo após a cópula das minhocas. A fecundação acontece quando uma secreção anelar do clitelo de uma minhoca, que carrega os óvulos, passa pela sua espermateca e recebe os espermatozóides de outra minhoca lá armazenados. Apesar de raros, existem casos de autofecundação, que geram indivíduos inférteis.

FENOL – é derivado hidroxilado do benzeno, composto por uma hidroxila ligada a um carbono de um anel benzênico, de aspecto cristalino e incolor, mas avermelhado quando exposto à luz. As minhocas rejeitam a ingestão de vegetais ou partes de plantas recém-desintegradas, repelidas por uma substância neles contida, um tipo de fenol chamado de catequina.

FIBRAS GIGANTES – são três células com muitos núcleos que formam a porção superior do cordão nervoso que se alonga por todo o corpo da minhoca, das quais a mediana é mais espessa. A fibra gigante nada mais é do que um axônio composto, isto é, um prolongamento da célula nervosa que produz impulsos a partir do próprio corpo célula.

FIXAÇÃO – é um dos procedimentos tomados na preparação de minhocas que integrarão uma coleção para preservarem ao máximo as características que tinham ainda em vida. Um dos métodos de fixação é o de imersão dos espécimes de minhocas previamente expurgadas e anestesiadas em formalina (formol comercial diluído a 10%) por 24 horas antes de serem transferidas para o recipiente com líquido de preservação.

FOLEÓFILAS – são minhocas da categoria epigéica – classificação ecológica determinada pela preferência de ambiente dada às espécies que habitam terra firme ou várzea e que têm o solo mineral como refúgio temporário, em situação de adversidades – que vivem em detritos acumulados em fissuras, buracos e saliências de um substrato ainda inassimilável.

FOTORRECEPTORAS – são células especiais localizadas na epiderme e sobre nervos, concentradas em ambas extremidades do corpo da minhoca que distinguem a intensidade de luz. Análogas ao olho de seres mais desenvolvidos, estas células possuem estruturas similares à lente e retina, que identificam a luz para orientar o comportamento de fotossenssibilidade da minhoca.

FOTOTAXIA NEGATIVA – é a resposta contrária das minhocas mediante a percepção de incidência luminosa, que tentam se afugentar escondendo embaixo de algo ou penetrando em algum substrato. A reação adversa à presença de luz, detectada por células fotorreceptoras localizadas nas extremidades dorsais do corpo das minhocas, impede o ressecamento danoso da cutícula e protege contra a exposição eventual aos predadores.

FRAGMENTAÇÃO – é o tipo de reprodução assexuada em que um ou mais fragmentos de um ser vivo se desprendem, dando origem, cada um deles, a novos indivíduos iguais ao progenitor. A minhoca Enchytraeus japonensis, por exemplo, se reproduz por auto-fragmentação espontânea e subseqüente regeneração, sendo capaz de se reconstituir em um indivíduo completo a partir de um pequeno fragmento de seu corpo em apenas quatro dias.

FUGA – é a emigração de minhocas de um substrato provocada por determinadas condições desfavoráveis de permanência. No hábita, as minhocas recorrem à superfície do solo, na maioria das vezes, devido ao alagamento causado por chuvas torrenciais, e nos criatórios, as espécies comerciais comumente fogem devido à escassez e inassimilação de alimento, ao resfriamento, ressecamento, aquecimento e encharcamento do substrato.

FUNGOS – são organismos pertencentes ao Reino Fungi dispersos por todos os ambientes do mundo, caracterizados por existirem ou como célula única ou formar um corpo multicelular dito micélio, que consiste em filamentos denominados hifas. Na minhocultura, os fungos possuem importante papel na decomposição da matéria-prima, no desenvolvimento e na eficiência reprodutiva e digestória das minhocas.

FUNIL ESPERMÁTICO – é um alargamento em forma de funil, em quantidade de um ou dois pares, que recebe o esperma dos testículos e o entrega aos canais eferentes para continuar o percurso até os poros genitais masculinos da minhoca. Apresentando paredes bastante pregueadas, o que justificou sua denominação de funil ciliado, os funis espermáticos têm a cor branca prateada e brilhante devido à aglutinação de espermatozóides entre seus cílios.

 

Afrânio Augusto Guimarães - zootecnista / MINHOBOX