Inscreva-se para receber, toda semana, o Boletim da Minhoca com informações importantes sobre minhocas e minhocultura.

Minhobox | Boletim da Minhoca
x
PORTAL DA MINHOCA
  • Idioma Português
  • Idioma Espanhol
  • Idioma Inglês
Boletim da Minhoca

V.C. e G.A. criadas juntas

  • V.C. e G.A. criadas juntas
  • Tenho um minhocário em colchões povoado com a espécie vermelha-da-califórnia. Quais são os impedimentos se misturá-la com a gigante-africana?
    Cristiano Teixeira (Belém - PA)

A pretensão de criar juntas as duas espécies mais adotadas na minhocultura, a vermelha-da-califórnia (Eisenia andrei) e a gigante-africana (Eudrilus eugeniae), é comum e se suporta em vários argumentos. O de pressupor que se possa gerar uma minhoca híbrida com a aptidão dupla de recicladora versátil de resíduos orgânicos e servir como iscas para pesca é um deles. Outro é a de que, por se supor que atuem em camadas distintas do substrato, poderiam atuar como espécies complementares na humificação de um substrato. Há também a justificativa de que, considerando suas origens em regiões de climas antagônicos, devam ser criadas misturadas para se ajustarem às oscilações climáticas de determinados locais.

Entretanto, se criadas juntas, embora não cruzem entre si, reduzem a produtividade da minhocultura, produzem gerações sempre misturadas e provocam a prevalência de uma das espécies, seguida do extermínio da outra, com o decorrer do tempo.

 

Cruzamento

Embora exista a possibilidade do cruzamento danoso entre duas espécies de minhocas, como o que ocorre entre a Eisenia andrei com Eisenia fetida, por exemplo, que gera netos estéreis, não há possibilidade da hibridação entre a vermelha-da-califórnia (Eisenia andrei) e gigante-africana (Eudrilus eugeniae). O posicionamento diferente dos pontos de conexão sexual (poros masculinos e poros das espermatecas) requerido pela cópula destas duas espécies e seus comprimentos expressivamente distintos quando maduras sexualmente não permitem a ocorrência de um acasalamento entre elas.

 

A criação conjunta de vermelha-da-califórnia e gigante-africana não gera híbridos e traz transtornos à produção: a humificação é irregular ao longo do ano, produz matrizes sem pureza de espécie e a primeira pode prevalecer tanto até dizimar a segunda.

 

Pureza de espécie

A adoção de ambas as espécies numa minhocultura produziria gerações sempre misturadas, impossibilitando a comercialização de matrizes puras e estendendo as complicações da contaminação aos minhocários iniciantes. A prática da catação manual, a única que permitiria separar as espécies vermelha-da-califórnia (Eisenia andrei) e gigante-africana (Eudrilus eugeniae), requer operários conhecedores, é custosa e passível de erros.

Densidade populacional

A densidade populacional, isto é, o peso de minhocas por volume de substrato, com que é povoado e mantido um minhocário deve estar relacionada com o tipo de produto priorizado (húmus ou minhocas) para se maximizar a produtividade. Embora a densidade populacional apropriada de um criatório que tem a finalidade de obter húmus seja a mesma para ambas as espécies, se a prioridade for a produção de minhocas, a quantidade de minhocas que superestima a reprodução é variável conforme uma ou a outra espécie. Se criadas juntas num mesmo minhocário, a eficiência de reprodução será afetada pela presença de indivíduos que preenchem a massa viva de minhocas, mas que não se copulam entre si.

Sazonalidade

Estas duas espécies comerciais se comportam com diferença ao longo do ano em relação às condições climáticas, principalmente em regiões com estações bem definidas. Muito influenciada pela temperatura, a gigante-africana é mais ativa em períodos mais quentes do ano e pode chegar à morte num inverno sem muito rigor. A vermelha-da-califórnia, por sua vez, mantém a atividade regular durante todos os meses. Assim, a eficiência da humificação e a intensidade reprodutiva ficam despadronizadas na criação conjunta das duas espécies. Criando-as separadamente, se permite que o minhocultor estabeleça providências no manejo de tal forma que considere a sazonalidade.

 

 

Alimentação e umidade

Embora tenham o mesmo hábito alimentar — a vermelha-da-califórnia (Eisenia andrei) e gigante-africana (Eudrilus eugeniae) são igualmente detritívoras — e tenham preferência pela mesma faixa de umidade em torno de oitenta por cento, são minhocas que agem diferentemente na adversidade destas condições: se misturadas, há sobrepujança da vermelha-da-califórnia (Eisenia andrei) que é expressivamente mais tolerante em viver em substratos mais ressecados e desprovidos de alimentos.

Estes prejuízos são pouco evitáveis até se optar por uma mesma minhocultura povoada com as duas minhocas separadamente. A possibilidade é grande de ambas as espécies se misturarem mesmo sendo mantidas com precaução em setores reservados para cada uma delas ou até mesmo em locais distantes em uma mesma propriedade. A disseminação através de filhotes e casulos grudados a ferramentas e calçados dos funcionários e até a emigração de minhocas fugitivas são algumas das numerosas formas de se permitir a convivência danosa entre as duas espécies.

 

 

Afrânio Augusto Guimarães – zootecnista / MINHOBOX
Jornal da Minhoca - edição 62 - maio de 2011
Atualizada em abril de 2018

  • Imprima esta página.
    Imprima esta página.
  • Envie esta página para alguém.
    Envie esta página para alguém.
  • Envie uma mensagem para a Minhobox.
    Envie uma mensagem para a Minhobox.
  • Deixe seu comentário sobre esta página.
    Deixe seu comentário sobre esta página.
  • Compartilhe esta página no Facebook.
  • Recomende esta página pelo Twitter.
  • Recomende esta página pelo Google+.
Deixe seu comentário sobre esta página.
Enviar
Envie esta página para alguém.
Envie uma mensagem para a Minhobox.